Hospital de Cirurgia | Dia Nacional de Doação de Órgãos marca a importância de ser doador
1365
post-template-default,single,single-post,postid-1365,single-format-standard,mkd-core-1.0.1,ajax_fade,page_not_loaded,,mkd-theme-ver-1.0.1,smooth_scroll,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2,vc_responsive

Dia Nacional de Doação de Órgãos marca a importância de ser doador

Dia Nacional de Doação de Órgãos marca a importância de ser doador

 27 de setembro é o Dia Nacional do Doador de Órgãos e Tecido e esta data representa a importância de conscientizar a população sobre como o ato de doar um órgão pode salvar vidas. Em muitos casos, o transplante pode ser única esperança de vida para quem que precisa de uma doação.

 

O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um órgão (coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim) ou tecido (medula óssea, ossos, córneas) de uma pessoa doente por outro órgão ou tecido de um doador, vivo ou morto.

 

Há dois tipos de doador. O primeiro é o doador vivo, que pode ser qualquer pessoa que concorda com a doação, desde que não prejudique a sua própria saúde. O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea ou parte do pulmão. O segundo tipo é o doador falecido, que são pacientes com morte encefálica, geralmente vítimas de catástrofes cerebrais, como traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral).

 

Vale ressaltar que os órgãos doados vão para pacientes que estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada estado e controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes.

 

Se você deseja ser um doador, basta comunicar à família sobre a sua vontade e deixar claro que deve ser dada a autorização para a doação de órgãos.

 

Com informações do Portal do Ministério da Saúde