Hospital de Cirurgia | Os benefícios do desempenho do fisioterapeuta residente nas UTIs do Hospital de Cirurgia
372
post-template-default,single,single-post,postid-372,single-format-standard,mkd-core-1.0.1,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,mkd-theme-ver-1.0.1,smooth_scroll,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2,vc_responsive

Os benefícios do desempenho do fisioterapeuta residente nas UTIs do Hospital de Cirurgia

Os benefícios do desempenho do fisioterapeuta residente nas UTIs do Hospital de Cirurgia

whatsapp-image-2016-12-28-at-18-46-19

Soraya Alves está no 2º ano da Residência Multiprofissional do Cirurgia

Os fisioterapeutas que fazem parte do Programa de Residência Multiprofissional do Hospital de Cirurgia desempenham duas principais funções, relacionadas ao aparelho respiratório e à funcionalidade motora dos pacientes. Um dos principais benefícios que o trabalho executado pelo fisioterapeuta residente traz a eles é fazer com que saiam mais rápido das UTIs, a depender de cada caso clínico.

 

O manejo do fisioterapeuta em UTI começa quando o paciente dá entrada na unidade, na maioria dos casos estão sob uso da ventilação mecânica por meio de tubo orotraqueal ou de traqueostomia. Ele é o profissional que mais domina a ventilação mecânica e pode prevenir complicações pulmonares, como também resgatar um pulmão altamente lesionado.

 

A fisioterapeuta Soraya Alves está no segundo ano da Residência Multiprofissional do Hospital de Cirurgia. Formada em 2014, a pernambucana veio morar em Sergipe por conta da Residência. Soraya explica que a outra função importante do fisioterapeuta especializado em UTI é em benefício da funcionalidade motora do doente crítico. “Nós trabalhamos para que esses pacientes voltem a desenvolver atividades da vida diária, devolvendo-os à sociedade da melhor forma possível, porém isso dependerá de vários fatores, incluindo a patologia de base. Trabalhamos muito a funcionalidade desses pacientes”, relata.

 

Diariamente Soraya verifica os exames complementares e avalia cada paciente que acompanha para assim traçar os objetivos, definir o método terapêutico ideal para cada caso, intervir e avaliar continuamente os resultados, reajustando as condutas quando necessário.“Tentar fazer com que eles retornem a desenvolver funções da vida diária é primordial, então fazemos exercícios que os ajudem, por exemplo, a escovar os dentes, pentear o cabelo, comer sozinhos, sentar, transferir-se da cama para uma cadeira, deambular, ou seja, caminhar”, explica ela.

 

Os residentes fisioterapeutas apresentam a cada 15 dias aos preceptores da Residência os casos clínicos que acompanham, para que possam saber o quanto os pacientes evoluíram. Toda a avaliação e acompanhamento dessa evolução são registrados em uma ficha específica de Fisioterapia.

 

Para os fisioterapeutas interessados, as inscrições para a Residência Multiprofissional do Hospital de Cirurgia estão abertas até o próximo dia 2 de janeiro e podem ser feitas através do site inscricao.fbhc.org.br, onde também está disponível o edital do processo de seleção. Os aprovados receberão uma bolsa do Ministério da Saúde, no valor de R$ 3.330,43.



Duvidas para doar?