Hospital de Cirurgia | Enfermeiro residente: Entenda como é a atuação deste profissional nas UTIs do Hospital de Cirurgia
361
post-template-default,single,single-post,postid-361,single-format-standard,mkd-core-1.0.1,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,mkd-theme-ver-1.0.1,smooth_scroll,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2,vc_responsive

Enfermeiro residente: Entenda como é a atuação deste profissional nas UTIs do Hospital de Cirurgia

Enfermeiro residente: Entenda como é a atuação deste profissional nas UTIs do Hospital de Cirurgia

whatsapp-image-2016-12-27-at-17-32-11

O principal resultado das atividades desenvolvidas pelo residente de Enfermagem é a qualidade da assistência

 

Os enfermeiros que atuam nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) através do Programa de Residência Multiprofissional têm como objetivo a assistência mais próxima do paciente, ou seja, à beira do leito. Eles precisam desse cuidado assistencial para complementar o aprendizado prático ao das aulas teóricas que o Programa de Residência oferece.

 

O que diferencia os enfermeiros responsáveis pelas UTIs dos enfermeiros residentes é que, além da função assistencial, eles desempenham também uma função gerencial. Por isso, os residentes, que têm o foco basicamente na assistência, conseguem promover um maior contato com o paciente. Nesse sentido, um ponto importante é a comunicação entre esses profissionais: é necessário que o residente passe à equipe assistencial as informações dos pacientes que avalia, pois a continuidade do cuidado é dada justamente por conta dessa comunicação.

 

Maiara Simões formou-se em Enfermagem em 2014 e logo em seguida foi aprovada no processo de seleção da Residência Multiprofissional do Hospital de Cirurgia. Ela explica que o principal resultado das atividades desenvolvidas pelo residente de Enfermagem é a qualidade da assistência e isso é possibilitado através da atuação interdisciplinar com os demais profissionais.

 

A enfermeira fala como é gratificante ver o retorno dos pacientes. “Hoje inclusive eu estava atendendo um paciente e ele falou: ‘Será que eu vou ter a felicidade de amanhã ter você aqui? Porque você é tão calma, presta tanta atenção no que está acontecendo e escuta tanto a gente falar’, isso me deixa emocionada”, conta Maiara.

 

A rotina diária de Maiara na UTI começa com a observação do mapa de pacientes, dando prioridade à análise dos novos internamentos para entender os casos, pois na Residência o objetivo é aprender com o caso clínico dos pacientes. Então, ela consulta os prontuários, observa a situação clínica dos pacientes, o diagnóstico médico, entende a patologia e a partir daí realiza o exame físico específico da Enfermagem, observando assim quais são as anormalidades que o paciente apresenta, para definir a conduta do caso junto aos demais profissionais. Depois disso, realiza a evolução do paciente e registra toda a avaliação no prontuário. “No momento da evolução eu já vejo todos os balanços do paciente e exames laboratoriais para avaliar se estão dentro da faixa de normalidade e se condizem com a situação clínica que ele está apresentando”, relata a enfermeira.

 

Outra atividade realizada pelo enfermeiro residente é o desenvolvimento do processo de Enfermagem, ou seja, traçar diagnósticos de Enfermagem e fazer a prescrição, que é diferenciada da prescrição do médico, pois enquanto este prescreve medicação, o enfermeiro prescreve cuidado e, continuamente, avalia se as intervenções estão sendo realizadas da forma correta.

 

Para os interessados, as inscrições para a Residência Multiprofissional do Hospital de Cirurgia estão abertas até o próximo dia 2 de janeiro e podem ser feitas através do site inscricao.fbhc.org.br, onde também está disponível o edital do processo de seleção. Os aprovados receberão uma bolsa do Ministério da Saúde, no valor de R$ 3.330,43.



Duvidas para doar?